sábado, dezembro 30, 2006

será que o JN se enganou no país

neste, todos nós sabemos, a cultura tem que ser fortemente subsidiada, porque o povo é pouco dado a estas coisas, não lê, etc e tal... e é "obrigação" do Governo /Autarquias/... pagar a sua formação. É, não é?

"É um país a duas velocidades o que parece ditar o andamento da área cultural. Se, a nível oficial, o Ministério sofreu cortes de 10% - tornando cada vez mais longínquo o objectivo do 1% do PIB, prometido pelo actual executivo até ao fim da legislatura -, bem diferente é o panorama oferecido pelos privados."

2 comentários:

carlos disse...

Não sei se percebi exactamente o sentido do post, mas se repararmos bem, 90% do artigo refere-se a programação de equipamentos públicos, nomeadamente teatros municipais (pagos pelos contribuintes, ou estruturas artísticas altamente financiadas pelo Estado.

Ricardo disse...

O artigo não explicita, mas acredito que se refira a "90% da programação de equipamentos públicos, nomeadamente teatros municipais (pagos pelos contribuintes, ou estruturas artísticas altamente financiadas pelo Estado)"...mas num país em que "tudo" que é equipamento é público, o que acontece, público ou privado, acontece em equipamentos públicos...

Se "acabarmos" com a maior parte dos equipamentos e dos apoios públicos, o privado surge.