terça-feira, dezembro 05, 2006

estava eu a falar do Ministério da Educação

De muita qualidade, a entrevista de Joaquim Azevedo ao Público / RR / RTP2, no "Diga lá Excelência":

"Pensa-se que tudo se resolve por leis. Por exemplo: existe um problema de disciplina nas escolas? Faz-se um decreto lei, o problema fica resolvido…”“(Ministério da Educação acabou) de legislar, em Outubro, sobre os cacifos das escolas”. via Tonibler

comentários para quê!!!


4 comentários:

Arnaldo Madureira disse...

Good discipline
Every pupil has the right to learn without disruption; no teacher should be subject to abuse or disrespect. We have given head teachers the powers needed to maintain discipline and the highest standards of conduct. Violent behaviour, including the use of knives will not be tolerated.
We are also working with schools and teacher organisations to
implement a zero tolerance approach to lower-level disruption. The number of places in out-of-school units has almost doubled, and the quality of provision has been enhanced. We will give head teachers within each locality direct control of the budgets for out-of-school
provision, so they can expand and improve it as needed.We will
encourage more dedicated provision for disruptive and excluded
pupils, including by charities and voluntary groups with expertise in
this area, and no school will become a dumping ground for such pupils.
Parents have a duty to get their children to attend school. We have
introduced parenting orders and fines and will continue to advocate
truancy sweeps.
(Tony Blair, The Labour Party manifesto 2005)

helder disse...

Ricardo,

nessa entrevista o jornalista chega à conclusão que não é necessário o Ministério e se bem me lembro (li ontem) J.A. responde que é, porque há lá muita gente.

ricardo disse...

Helder,

Também não me lembro, mas J.A. como Presidente da UCP no Porto tem que viver com o Ministério...ou talvez até acredite que ele se deve manter, reformulado.

Isso não sei, mas sei que a entrevista é boa, diferente do habitual e que ele defende algumas questões (já o ouvi várias vezes) como a liberdade de escolha, gestão local e autonomia das escolas, etc com as quais eu concordo.

Anónimo disse...

Sim, provavelmente por isso e