sexta-feira, novembro 10, 2006

Greve - duas certezas

Nesta portuguesinha greve da administração pública não interessam as disputas sobre as percentagens da adesão, as (ir)regularidades dos serviços mínimos ou de saber quem mais berrou na comunicação social – governo ou sindicatos. Nada disso interessa.
A verdadeira discussão é saber que administração pública podemos e queremos ter. E quanto a isso duas certezas são absolutas:

1. A gestão por objectivos é a única forma de gerir os recursos públicos, sejam eles os humanos, os financeiros, os técnicos ou os organizacionais. Os colaboradores dos organismos públicos já o perceberam. Sabem que gerir por objectivos obriga ao enfoque nos resultados e não nos processos, obriga ao reforço dos valores da liderança, responsabilidade, mérito e qualificação. Obriga a novas ferramentas de avaliação do desempenho.
100% dos portugueses querem-no. 99% dos funcionários públicos já o interiorizaram como desafio. 1% trabalha no sindicato.

2. As atribuições do Estado e da Administração Pública terão de ser profundamente revistas.
Tal implica a avaliação rigorosa de todo o sistema e a sua total reorganização, que passa pela redução de hierarquias e lugares de chefia. Implica a descontinuação, externalização e partilha de serviços e a aposta na excelência da sua prestação.
100% dos portugueses querem-no. 99% dos funcionários públicos já o interiorizaram como desafio. 1% trabalha no sindicato.

1 comentário:

ricardo disse...

(re)entrada à Leão (dos da selva, claro)...posta muito, caro amigo